Skip to content Skip to footer

Exposição Lagoinha

A ideia da Exposição Lagoinha veio com o propósito de celebrar o término de um ano difícil, 2021, em que o Libertas demonstrou resistência, organizando por conta própria diversas exposições híbridas e virtuais do Coletivo, em tempos de pandemia. Nesta exposição, participaram 29 artistas, sendo dois convidados: Myrthes Figueiredo, pelo Libertas Coletivo de Artes, e Zé di Nilson, artista do bairro Lagoinha, trazendo suas releituras do ícone da cultura de Belo Horizonte: o famoso copo Lagoinha

O evento foi realizado no Agosto Butiquim, no Prado, Belo Horizonte, e embora estivesse previsto para ocorrer de 29 de dezembro de 2021 a 30 de janeiro de 2022, a exposição se estendeu até o dia 7 de fevereiro de 2022, diante do sucesso junto aos frequentadores do local. No vernissage, que foi animado pela boa música do DJ Tieds, foi apresentada também uma novidade: o drink Libertas, uma ideia da produção cultural do evento e elaborado pelo proprietário do Agosto. A Exposição Lagoinha contou com o apoio da Casa Viva Lagoinha, embaixadora do copo lagoinha em Belo Horizonte pelo fabricante Nadir Figueiredo. Uma nova edição, agora com mais artistas da Lagoinha, está sendo pensada para uma segunda edição, no próprio bairro Lagoinha. Esse copo realmente é uma inspiração para os artistas.

Copo americano ou lagoinha?

Se em outras capitais ele é conhecido como copo americano, em Belo Horizonte o termo lagoinha é unanimidade entre os belo-horizontinos. O modelo do copo foi criado em 1947, com capacidade de 190 ml, pelo fabricante Nadir Figueiredo, de São Paulo, ou seja, o copo é um produto genuinamente brasileiro. Então por que ele recebeu esse nome lagoinha, em Belo Horizonte? Foi porque no bairro Lagoinha, berço da cidade, boêmios que frequentavam os bares, entre a rua Itapecerica e a avenida do Contorno, usaram os primeiros copos, que foram colocados a venda na capital. E o dono do bar, conhecido por ‘Seu Quinquin’, mostrava aos clientes a resistência do produto, batendo o copo no balcão. Não demorou muito para que o lagoinha se tornasse um sucesso de vendas. Hoje, é realmente um ícone da cultura mineira. Principalmente a cultura do bar. O lagoinha é o modelo de copo mais usado tanto para a média do café da manhã, quanto para a cervejinha dos fins de semana.

Artistas participantes

Caio Machado, Carla Faria, Carlos Macedo, Danilo Mata, Demogolet, Deusina Ladeira, Eduardo Tavares, Elania Matos, Eliane T. Guedes, Érika Silveira, Goretti Gomide, Heloísa Prado, Henrique Dias, Isabel Galéry, Ivone Beoli, Kelly Camillozzi, KK Bicalho, Ligia Moregula, Marcos Esteves, Maria Tereza Penna, Marina Alves, Michel Salazar, Myrthes Figueiredo, Paula Magalhães, Rafael Abreu, Raquel Meireles, Salin de Sá, Sissi Dalila e Zé di Nilson.

Vídeo produzido por Ligia Moregula.

Curadoria e Expografia

Rafael Abreu

Produção Cultural

Ligia Moregula

Fotos

Felipe Pimenta - Rec Viral

Vídeo

Ligia Moregula

Assessoria de Imprensa

Manoel Hagen

Apoio / Local / Realização

Apoio

Local

Realização